Home / Minas Gerais / Prados

Prados

■ Prados

  • População: População estimada (2018/IBGE) 8.979 pessoas
  • Previsão do Tempo /Prados

    A cidade de Prados localiza-se a 190 quilômetros de Belo Horizonte, na região central de Minas Gerais, também conhecida como Campos das Vertentes. A origem de Prados remonta à descoberta de ouro no vale do Rio das Mortes, mesma causa de ocupação de São João del-Rei e Tiradentes. O município sempre integrou a rota dos turistas que transitam pelo circuito turístico Trilha dos Inconfidentes.Prados conserva também sua tradição musical que tem origem nas cerimônias religiosas dos séculos XVIII e XIX. No mês de julho, é realizado ali um festival de música erudita que faz parte do calendário dos eventos mais importantes do Estado.Outro forte atrativo é o artesanato de primeiríssima qualidade que a cidade produz a preços convidativos. Ao longo da avenida que dá acesso ao centro histórico, é possível observar muitos dos coloridos e criativos atelieres que produzem bonitas peças feitas em madeira e cerâmica.

    ■ Pontos Turísticos / Prados

    # 1 Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição
    Construída no período de 1712 a 1770. Seu interior é em estilo rococó. A portada, ornamentada com motivos indígenas, é esculpida em gnaisses. O forro é totalmente recoberto de pinturas. As imagens existentes são autênticas e originais e datam do século XVIII. Foi tombada pelo IPHAN em 1995, e passou por restaurações em todo o seu interior, nave, capela mor e nos altares laterais.

    # 2 Casa da Prata
    É um museu da arte sacra, está localizado no interior da Matriz de Nossa Senhora da Conceição e abriga imagens, pinturas, prataria e curiosidades a respeito da história religiosa de Prados.

    # 3 Capela de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos
    Construída pelos escravos, por iniciativa da Irmandade do Rosário dos Pretos, que concluíram por volta de 1770. Tanto em termos de arquitetura quanto ornamentação, predomina a simplicidade nessa edificação. Há uma pintura no forro da capela mor representando uma cena do Apocalipse, que passou por um processo de restauração, junto com todo o seu interior. Atualmente a Capela do Rosário está com uma nova coloração na sua pintura externa.

    # 4 Capela de Nossa Senhora do Livramento
    Situada na zona rural, datada por volta de 1740. Destaque para a imagem de Nossa Senhora do Livramento esculpida em madeira policromada.

    # 5 Igreja de Nossa Senhora da Penha de França
    Está edificada no povoado de Vitoriano Veloso (Bichinho), distante cerca de 12 km da cidade. Construída entre 1732 e 1771. Seu interior é muito semelhante à Matriz de Nossa Senhora da Conceição, com pinturas de grande qualidade no forro da capela mor e na nave. É tombada pelo IPHAN e passou por reforma e restauração das pinturas do forro.

    # 6 Igreja de Santo Antônio
    Localiza no bairro de Pinheiro Chagas. Estilo moderno, concluída em 1967. Toda revestida de pedras da Serra de São José, como tudo o que nela existe é proveniente da região.

    # 7 Fazendas Antigas
    Datadas do século XVIII, como a Fazenda do Coqueiro, a 2 km do centro da cidade; a Fazenda da Boa Vista, situada ao pé da Serra de São José, a 4 km do centro da cidade; as ruínas da fazenda Ponta do Morro, fazenda mais rica da Comarca do Rio das Mortes, importante ponto de encontro na época da Inconfidência Mineira, pertenceu ao Inconfidente Cel. Antônio Francisco de Oliveira Lopes e sua esposa Hipólita Jacinta F. Melo, localizada no sopé da Serra, no trecho que é considerado uma das variantes da Estrada Real, fica a 5 km do centro da cidade. E várias outras Fazendas que oferecem serviços de hospedagem e restaurante.

    # 8 Casario Colonial do Século XVIII
    A maioria está situada nas ruas Cel. João Luiz e Cel. José Manuel. Merecem destaques, o prédio do Fórum; prédio do antigo Ginásio São José, que hoje abriga a Câmara Municipal; Casarão da Selaria Estrela, onde se produz artefatos de couro; casa mais antiga da cidade, inicialmente adquirida pelo Cel. Francisco de Oliveira Lopes, data de antes de 1788; Casarão da Hipólita, que mandou construí-lo ao lado da Matriz de Nossa Senhora da Conceição com o propósito de assistir a todas às celebrações religiosas ocorridas ali; e outros belos casarões que fazem parte da história do desenvolvimento da cidade.

    # 9 Casarão da Selaria Estrela
    Tombado em março de 2005 pelo Conselho Municipal do Patrimônio Cultural de Prados, trata-se de um belo sobrado, construído em 1820 a mando do Pe. José Maria Pamplona, feito de pau-a-pique, pedra, taipa e adobe; servindo de morada para ele e sua família. Depois, o sobrado passou a pertencer ao Deputado Estadual Dr. Viviano Caldas, que exercia a profissão de médico. Em 1936, a família do Deputado alugou o local para a Sra. Lumé, que transformou o local no majestoso Hotel Fonseca, que funcionou até 1942. Neste mesmo ano, o casarão foi comprado por José Marques da Costa, onde ele residiu com sua família e transformou o primeiro andar do imóvel em uma selaria. Hoje, a Selaria Estrela ocupa todo o casarão e ainda possui a arte de fabricar arreios e artefatos de couro de forma artesanal, sendo o sobrado um ponto de referência da indústria e do turismo local.

    # 10 Ginásio São José
    Por volta do séc. XVIII, o casarão era o local aonde se realizavam saraus e outras festividades. A estrutura é em madeira com paredes de taipa e os forros dos cômodos são do tipo saia-e-camisa, as paredes são pintadas de branco e a cobertura é em quatro águas, com beiral de cimalha, sendo os cunhais em azul. Um dos proprietários do casarão, o Cel. José Manoel, vendeu-o para a família do Cel. João Luiz, que mais tarde doou para a Santa Casa. Mais tarde o prédio foi cedido para o CNEC com a finalidade de criar o Ginásio São José, para aulas de 1o e 2o graus. Atualmente funciona no casarão a Câmara Municipal e departamentos ligados à Prefeitura.

    # 11 Fórum Desembargador Oliveira Andrade
    Pertencente ao vigário Pe. Emanoel Martins de Carvalho, na metade de séc. XVIII, sua construção é extremamente requintada, entre o solo e o travessão onde se formam as paredes, existe uma muralha de pedra chamada de sapata. Antigamente os servos e escravos observavam o movimento urbano subindo nestas sapatas, pois não tinham acesso aos cômodos superiores onde a visão era privilegiada. Após vários proprietários herdeiros do vigário, o casarão foi doado ao Estado para sediar a comarca, que funcionava juntamente com a câmara. Em 1973, o Estado de Minas Gerais decidiu extinguir a comarca de Prados, permanecendo enquanto o Juiz não se transferisse. Com a interferência do poder executivo, o Estado resolveu permanecer com a comarca no município e incluindo o de Dores de Campos, que até então estava sobre a jurisdição da comarca de Barbacena. Atualmente o prédio passou por uma belíssima reforma, conservando suas características.

    # 12 Lira Ceciliana
    Criada em 1858. É herdeira do movimento musical setecentista e responsável pela permanência da execução de peças de antigos mestres, ainda hoje tocadas nas mesmas celebrações religiosas para as quais foram compostas, algumas há quase trezentos anos. Mantém em atividade uma banda de música, uma orquestra e um coral, além de uma escola de iniciação musical para a formação de novos músicos.

    # 13 Mirante do Cruzeiro
    Está localizado a 2,8 km do centro da cidade. Possui uma vista panorâmica da cidade e da natureza típica da região, há uma cruz de 12 m de altura que em sua base contém a história, dizeres e poemas sobre a cultura e o município de Prados.

    # 14 Museu do Automóvel
    Desde 1976 o colecionador Rodrigo Cerqueira Moura vem adquirindo e restaurando veículos das décadas de 30, 40, 50 e 60. Os carros formam uma coleção com 60 automóveis já restaurados e 15 aguardando a recuperação. Aberto de quarta a domingo, o museu, localizado na Estrada Bichinho – Tiradentes dispõe ainda de um café para atender aos visitantes.

    ■ Como Chegar / Prados

    De Carro:
    As principais vias de acesso para a região pradense são a BR-040, a BR-383 e a BR-265.

    De Ônibus:
    n/d

    De Avião: 
    n/d

    ■ Mapa de Satélite / Prados

    ■ Fotos / Prados

    n/d

    ■ História / Prados

    História
    O atual município de Prados data de 1704, quando, segundo a tradição, ali se fixaram dois sertanistas irmãos, membros da família Prado, de Taubaté, iniciando a exploração do ouro, então abundante naquele local. A povoação que logo surgiu teve como primeiro templo uma humilde capelinha coberta de sapé, consagrada a Nossa Senhora da Conceição.

    Pouco depois, um dos fundadores, já então senhor de considerável fortuna juntamente com outros habitantes ricos, contrataram os artistas de comprovada competência e entregaram-lhes a incubência de construir um magnífico templo. Suas obras, desde logo iniciadas, só puderam ser terminadas cinquenta anos depois, sem que tivesse havido interrupção dos trabalhos. A freguesia foi criada em 1712 e a ela filiavam-se as Capelas de Nossa Senhora da Lapa, de Olhos D’ Água, criada em 1733; as de Santo Antônio, de Lagoa Dourada, em 1738, ambas por provisão episcopal de D. Frei Antônio Guadalupe, de Nossa Senhora da Glória, da Ressaca.

    O Alvará de 16 de janeiro de 1752 conferiu à Freguesia de Nossa Senhora da Conceição de Prados a Natureza de Coletiva; seu primeiro Vigário Colado foi o Padre Manoel Martins de Carvalho, que ali viveu por mais de 40 anos.

    O distrito de Prados teve sua criação a Ordem régia de 1752. O município de Prados cujo território foi desanexado de Tiradentes, criou-se o Decreto Lei Estadual nº 41, de 15 de abril de 1890, tendo ocorrido sua instalação a 1º de janeiro do ano seguinte. A Lei Estadual nº 11, de 13 de novembro de 1891, criou-se a Comarca de Prados, cuja a instalação ocorreu a 26 de março de 1892. A sede municipal recebeu foros de cidade por força da Lei Estadual nº 23, de 24 de maio de 1892. Em publicações datadas em 31/12/1936 e 31/12/1937, como também do anexo ao Decreto Lei Estadual nº 88, de 30 de março de 1938, a referida comarca abrange os termos judiciários de Prados e Tiradentes, formados, o primeiro pelos municípios de Prados e Lagoa Dourada, e o segundo pelos de Tiradentes e Resende Costa. A divisão territorial do Estado, em vigor no quinquênio 1939/1943, estabelecida pelo Decreto Lei Estadual nº 148, de 17 de dezembro de 1938, apresenta a comarca de Prados constituída pelos tres seguintes termos: o da sede e os de Lagoa Dourada e Resende Costa.

    O termo de Prados forma-se do município desse nome e do de Dores de Campos, este instiuído pelo referido decreto lei nº 148; os demais são integrados pelos respectivos municípios, e o termo de Tiradentes, extinto, passou à jurisdição do termo e da Comarca de São João Del Rei. Verifica-se o mesmo na divisão territorial judiciário-administrativa do Estado, fixada pelo Decreto Lei Estadual nº 1.058, de 31 de dezembro de 1943, para vigorar no quinquênio 1944/1948. Os termos de Lagoa Dourada e Resende Costa foram elevados à categoria de Comarca, de acordo com o artigo 25, do ‘Ato das Disposições Constitucionais Transitórias’, de 14 de julho de 1947, passando a Comarca de Prados a constituir-se dos municípios de Prados e Dores de Campos.
    O gentílico denomina-se Pradense.

    Fonte: IBGE

Ver Mais

Carolina

■ Carolina População: População estimada 23.902 pessoas. IBGE/2014 Previsão do Tempo / Carolina Previsão de …